Categorias de empresas:
Pesquisar empresas:
Pesquise acima por categoria ou empresa e faça sua denúncia.
18 de dezembro de 2010, às 20h59min
Realizada
São Paulo - SP

Cobrança abusiva

No mês de outubro fiz viagem ao exterior e habilitei o roaming internacional em meu celular TIM. Fui informada dos valores que seriam cobrados em ligações e uso de internet, estando ciente que o pacote de dados contratado no Brasil não poderia ser utilizado no exterior. Porém, ao chegar ao Brasil, recebi conta que paguei no dia 27/11/10, no valor de R$ 837,17, sendo R$ 729,93 referentes a uso de roaming internacional. Agora recebi conta com vencimento em 25/12/10, no valor de R$ 969,49, sendo R$ 914,34 referentes a uso de roaming internacional. Desconfiada, fiz reclamação para revisão de conta pelo atendimento telefônico, e foi me dado prazo de 05 dias úteis para resposta. Achei o prazo longo demais e fui a uma loja TIM, obtendo lá extrato dos usos referidos de roaming internacional, das contas de novembro e dezembro. Ao analisar os extratos, veio a indignação. Olhando, parece que não fiz absolutamente nada nos dias que fiquei no exterior além de usar a internet em meu celular. Somando os dois extratos, são cerca de 50 acessos diferentes, sendo alguns ocorridos com diferenças de segundos. Os extratos não têm qualquer transparência, pois indicam uso em horários (no fuso brasileiro e local) em que não há qualquer possibilidade de que eu tenha usado o celular e casos de duplicidade de cobrança. Como exemplo, na conta que paguei em 27/11 há indicação que houve acesso no dia 17/10/10, às 19h29m39s, utilizando-se 1001,21094 KB, resultando em cobrança de R$ 32,29. Incrivelmente, na conta que vence em 25/12, há indicação de acesso no dia 17/10/10, às 19h29m43s, utilizando-se 1001,21094 KB, resultando em cobrança de R$ 32,29. Isso mesmo, duas cobranças diferentes, porém referindo-se EXATAMENTE ao mesmo volume de dados, com diferença de 4 SEGUNDOS entre um e outro. Não é preciso ser um Doutor em lógica para entender a impossibilidade disso. Na cobrança de 25/12 há cobranças de fatos ocorridos antes do que já foi cobrado em 27/11. Segundo o atendente da TIM, não há ordem cronológica dos acontecimentos porque a [alterado automaticamente pelo denuncio] internacional manda assim mesmo, tudo "bagunçado". E que, inclusive, novas cobranças poderão vir nas próximas faturas... Na fatura com vencimento em 25/12 há indicação de uso em 17/10/10, às 12h35m07s, resultando em cobrança de R$ 18,59. Porém, na fatura paga em 27/11, houve cobrança de R$ 0,32 por uso em 17/10/10 às 12h35min07s. Isso mesmo, no mesmo segundo consegui acessar a internet em duas vezes diferentes. A conclusão que se tira de tudo isso é que houve cobrança simplesmente em momentos que se ligou o celular ou situação similar, sem que houvesse real uso de qualquer serviço. Outra coisa, como acreditar em uma cobrança que vem toda "bagunçada", como confidenciou o próprio funcionário da TIM? Como acreditar em um extrato que acusa dois usos diferentes no mesmo dia, hora, minuto e segundo? Como acreditar em um extrato em que as cobranças chegam aos poucos, sem que a ordem cronológica dos usos fosse corretamente apresentada? Como acreditar em uma cobrança que indica uso do mesmíssimo volume de dados com diferença de 04 segundos entre um e outro? Em nenhum momento houve explicação que existiria cobrança por simplesmente portar um chip TIM no exterior, como na prática aconteceu. Dezenas de cobranças referem-se a momentos de "não utilização", isto é, momentos em que o celular estava simplesmente e apenas ligado. Isso deveria ser do conhecimento do cliente? Acho que não. Deveria ser se tivesse ele sido avisado. Está no contrato? Qual contrato? Aquele que o cliente NÃO recebe quando compra o plano e está disponível super escondido no confuso site no qual a área do cliente não deixa você sequer visualizar sua conta? Fica a sensação de que é cobrado um valor jogado ao vento, cabendo ao consumidor engolir, sem mastigar. Fica a dica para quem for viajar ao exterior. Esteja com uma aparelho desbloqueado e nem pense em levar qualquer chip brasileiro. Compre um chip pré-pago onde estiver e use lindamente, pagando 100%, 200%, 300% menos do que pagaria usando um chip brasileiro (mesmo para ligações internacionais e uso de internet). Nos EUA, Europa Ocidental, em alguns lugares da Ásia, paga-se em telefonia infinitamente menos por serviços de qualidade incomparável com as más acostumadas empresas brasileiras.
Resposta da Empresa:
25 de maio de 2019, às 06h05min
A empresa em questão ainda não se pronunciou sobre esta denúncia.

Receba novidades por e-mail:

FIQUE SEMPRE INFORMADO!