Categorias de empresas:
Pesquisar empresas:
Pesquise acima por categoria ou empresa e faça sua denúncia.
26 de novembro de 2018, às 01h10min
Realizada
Rio das Ostras - RJ

GARANTIA RENAULT - ENTENDO: COMO PROPAGANDA ENGANOSA - DEFEITO RECORRENTE - NÃO SANADO PELA RENAULT - CASOS SEMELHANTES DE OUTROS CONSUMIDORES DE MESMO DEFEITO E MESMA IMPERÍCIA DA RENAULT - DESCASO COM O CONSUMIDOR

PREZADOS(AS) SRS.(AS), Estou tendo problemas com a RENAULT, no tocante a falha/defeito do produto, e também por vícios/falhas no atendimento de cobertura da garantia do Fabricante, pois a RENAULT mesmo após eu cumprir todas as determinações da RENAULT, a montadora não resolve (não sana) um defeito recorrente do veículo, pois mesmo, após eu deixar meu veículo, por mais de uma oportunidade, à disposição da RENAULT, através de Concessionários autorizados, para atendimento de reclamação de defeito, via garantia do fabricante, o veículo é devolvido ao consumidor (a mim), sem resolução do defeito. EM FUNÇÃO DE MINHA EXPERIÊNCIA NÃO ACONSELHO a AQUISIÇÃO DE PRODUTO RENAULT. Em síntese, sou proprietário de um veículo fabricado pela RENAULT no Brasil, do modelo Logan Dynamique 1.6L 8V Easy-R (completo de fábrica), Ano fabricação/modelo 2015/2016, todo original de fábrica, estando vigente a garantia do fabricante RENAULT, segundo a RENAULT até 30/11/2018. Registro que o veículo cumpriu com todas as manutenções preventivas determinadas pelo fabricante, estando o veículo em bom estado de conservação, pois foi-se aplicado o bom uso do produto. Ocorre que desde de maio/2017, o veículo vem apresentando o mesmo defeito intermitente, no qual descreve-se como um defeito originário, ao se acionar o motor do veículo, quando o mesmo encontra-se aquecido (quente), em outras palavras, quando o motor ainda está quente, de forma intermitente, encontro dificuldade em executar a partida do motor do veículo. Por exemplo: quando se utiliza o veículo em viagens, ao parar e desligar o motor do veículo, após, ao acionar o motor do veículo, quando o mesmo ainda está aquecido/quente, encontra-se dificuldade para acionar (dar partida) no motor do veículo. Em maio/2017, estando o veículo com aproximados 20.000 quilômetros, o mesmo foi disponibilizado junto a RENAULT, através da concessionária autorizada AUTO FRANCE LTDA., em MACAÉ/RJ, onde efetivou-se a 1ª. (primeira) reclamação do defeito narrado, desta forma, foi requerido reparação do defeito via garantia do fabricante, tendo o veículo sido devolvido ao consumidor, e tendo a Renault afirmado que o defeito havia sido sanado, porém posteriormente viu-se que o vício persiste até a atualidade. Registre-se que acionei também o fabricante RENAULT, através de seu SAC (Serviço de atendimento ao Consumidor), em todas as vezes que o veículo foi deixado nos Concessionários autorizados, para reparação deste narrado vício, via garantia, conforme verifica-se através de 3 protocolos distintos de atendimento/reclamação de; n°. 2-02277158 (em Maio/2017), de n°. 2-02768183 (em Março/2018), e de n°. 203076785 (em Novembro/2018). Em março de 2018, estando o veículo com aproximados 27.000 quilômetros, voltou a apresentar o mesmo vício de qualidade, assim, o disponibilizei junto o concessionário Renault AUTO FRANCE, de São Pedro da Adeia/RJ, e pelo que foi noticiado pela concessionária e pela RENAULT, o defeito foi detectado como sendo proveniente do motor de partida (arranque) do veículo, e tendo pelo que se foi informado, sido efetivada a substituição do motor de partida do veículo, via garantia, assim, após, o concessionário me acionou, para retirada do veículo, pois segundo a RENAULT o defeito reclamado havia sido sanado, porém, novamente verificou-se que tal vício persistiu. Para minha surpresa, o veículo voltou novamente a apresentar o mesmo defeito, em novembro de 2018, pela terceira vez, estando o veículo com aproximados 33.000 quilômetros rodados, assim, em 05/11/2018 conduzi o veículo para a concessionária RENAULT DINISA em São Gonçalo/RJ, com objetivo de reiterar a reclamação pela terceira vez, sobre o mesmo defeito (ordem de serviço de n°. 127148). A RENAULT e a DINISA retornaram contato informando que o parecer técnico sobre o defeito, agora seria supostamente oriundo da bateria, que segundo ambos (RENAULT/Concessionário) estaria tal bateria danificada, diante de tal informação, fiz os seguintes questionamentos a ambos; a-) Caso seja o defeito oriundo da bateria, por qual motivo o defeito só se apresenta quando motor do veículo ainda está aquecido/quente, no momento em que bateria, em tese, teria maior carga, pois quando motor do veículo está frio, o carro não apresenta o vício reclamado. b-) Sabe-se que o mesmo defeito persiste por aproximados 17 meses, mesmo tendo o consumidor reclamado por 3 vezes. Por qual motivo a bateria do veículo vem acionamento perfeitamente o veículo, quando o veículo encontra-se com motor frio (temperatura ambiente), desde a primeira reclamação, há aproximados 17 meses, ou seja, não apresentando o defeito, quando o motor do veículo está frio (temperatura ambiente)? Ratifica-se, que o defeito somente se apresenta quando o motor do veículo está aquecido. c-) Estando o veículo, com o motor desligado, como se é possível acionar perfeitamente, a parte elétrica do veículo (em tese estando a bateria com defeito, descarregaria a bateria, e não teria carga para acionar a parte elétrica do veículo)? d-) Por qual motivo quando em março/2018, a concessionária Auto France e Montadora Renault em garantia substituíram o motor de partida do veículo? Não poderia o motor de partida estar novamente com o mesmo vício (defeito)? e-) Na internet encontram-se outras reclamações semelhantes, de consumidores da Renault, com o mesmo defeito, assim, seguem dois caminhos eletrônicos de reclamações semelhantes, para comprovação: e.1-) https://www.loganclube.com.br/thread-4551.html?highlight=motor , e outra reclamação e.2-) https://reclameaqui.com.br/eiffel-renault/defeito-intermitente-com-o-veiculo-em-nao-dar-a-partida_bgMC8ofX-M95MD1t/ , nesta reclamação de outro consumidor junto os site RECLAME AQUI (ID: 23902153), pode-se verificar que a reclamação é semelhante, e tendo a concessionária emitido o mesmo parecer técnico, e para total surpresa, o outro cliente, autorizou a troca da bateria, porém tal ação restou frustrada, pois o parecer da concessionária foi equivocado, voltando o veículo apresentar o mesmo defeito, apesar de se tratar de demandas distintas (a minha reclamação e a do outro consumidor), os veículos são semelhantes, o defeito é semelhante, ainda, entendo que o parecer técnico seja equivocado (bateria condenada), e sendo o mesmo parecer, pois o problema do outro consumidor persistiu mesmo substituindo a bateria do veículo, por uma nova. g-) Em função de tais fatos, requeri em Novembro de 2018 que a RENAULT e a DINISA, após eu autorizar a substituição da bateria, que me fornecessem um laudo técnico da Concessionária/RENAULT, onde atestasse que o defeito reclamado, seja realmente oriundo da bateria, e ainda, que concessionária/Fábrica declarassem que a garantia do meu veículo, no tocante ao persistente defeito aqui narrado/reclamado , seria prorrogada na forma da lei, pois o mesmo defeito é recorrente/persistente desde Maio/2017 (mesmo apresentando o veículo em concessionário reclamando do defeito por 3 vezes distintas) . Qual seria a responsabilidade do fabricante RENAULT? Diante de um vício recorrente, que não é sanado ao longo do tempo do período da garantia, pelo fabricante. Ao se requerer documentos da RENAULT referentes ao vício, a RENAULT se nega a fornecê-los. Com todo o respeito questiono: A RENAULT está agindo conforme determina o Código de Defesa do Consumidor? Requeiro também auxílio deste site especializado e renomado, pois não estou conseguindo resolver esta demanda sozinho, de forma administrativa, junto a RENAULT, que pelo que se entende se negam a resolver objetivamente, o vício via garantia. Acredito, com todo o respeito, que estou sendo demandado sem necessidade e sem justificativa, que não está sendo praticada por parte da RENAULT uma comunicação de forma clara e objetiva, pois reclamo via e-mail e não recebo resposta(s) adequadas, assim, por tudo que se observa, acredito que a RENAULT esteja se esquivando de atender plenamente meu chamamento/reclamação de vício via garantia. Como posso reverter minhas frustrações e agonias. Não confio mais no meu veículo, em virtude do defeito persistente, e nas falhas de atendimento da garantia. A RENAULT frustrou as minhas expectativas no produto. Estou tendo prejuízos, em função da insegurança, do tempo perdido na tentativa de resolução do problema, dos custos que venho registrando, a RENAULT vem minando meu ânimo psíquico, abalando minha moral, insuflando meu sentimento de impotência, venho tendo que expor minha intimidade e privacidade na busca pelos caminhos para solução, forçando a requerer ajuda técnica de terceiros, e ainda, dificultando a desenvolver minhas atividade diárias, investi recursos consideráveis na compra do veículo, e agora não posso contar plenamente com o mesmo. O que vocês consumidores acham; Vale a pena investir e confiar na compra de um veículo RENAULT? Eu nunca mais na minha vida terei um RENAULT, e tentarei informar sobre meu caso, ao maior número de pessoas possíveis, para que conheçam meu pesadelo (experiência negativa) de ter confiado na RENAULT.
Resposta da Empresa:
24 de abril de 2019, às 13h52min
A empresa em questão ainda não se pronunciou sobre esta denúncia.

Receba novidades por e-mail:

FIQUE SEMPRE INFORMADO!