Categorias de empresas:
Pesquisar empresas:
Pesquise acima por categoria ou empresa e faça sua denúncia.
02 de julho de 2018, às 01h39min
Respondida
Rio de Janeiro - RJ

TÓKIO MARINE NUNCA MAIS !!!

Trago a público a minha INDIGNAÇÃO com a contratação da Seguradora TÓKIO MARINE, o consumidor só descobre a ?DOR DE CABEÇA? quando o sinistro acontece. Comprei meu carro com isenção de impostos IPI/ICMS, conforme legislação vigente Lei Federal nº 8.989/95, sofro de patologia degenerativa e tenho dificuldade de locomoção. Acontece que no dia 13/05/17, tive meu carro [alterado automaticamente pelo denuncio]do e já se passaram 50 (cinquenta) dias sem a indenização devida. A TÓKIO MARINE está condicionando o pagamento dos tribunos no qual fui isento por Lei, para em seguida efetuar a indenização do sinistro. Como se não bastasse essa ILEGALIDADE a TÓKIO MARINE quer atribuir um erro no preenchimento do formulário de perfil (estado civil) para descontar um valor substancial no qual sou formalmente contra. A negativa da indenização tem trazido graves prejuízos a minha vida financeira e social.

Att

JOSÉ AMARO DA SILVA

(21) 9-9738-5518

BANGU/RJ
Resposta da Empresa:
03 de julho de 2018, às 18h01min
Olá senhor José Amaro,

Em atenção a sua interação, o contatamos nesta data, ocasião em que confirma o contato da área de sinistro ratificando a posição já informada, que a cia não tem como seguir com o processo, uma vez que restam pendentes regularização de documentos, conforme previsto no contrato de seguros, o veículo deverá estar livre e desembaraçado de ônus:

(...)18. Liquidação de sinistro

II. Qualquer indenização somente será paga ao segurado mediante apresentação dos documentos solicitados pela seguradora, entre eles, os que comprovem os direitos de propriedade, livre e desembaraçada de qualquer ônus, do segurado sobre o veículo (...)

Agradecemos seu contato. Esperamos ter lhe auxiliado e permanecemos a sua inteira disposição através do e-mail: atendimento.redessociais@tokiomarine.com.br

Cordialmente,           
Atendimento ao cliente - redes sociais
Resposta do Cliente:
03 de julho de 2018, às 20h38min
Senhores,
Reitero que faço seguro auto à 30 (trinta) anos e NUNCA tive problemas com outras seguradoras, possuo bonificação10. A TÓKIO MARINE só vem RATIFICAR o seu descaso com o consumidor. A TÓKIO MARINE DEIXOU DE RESPONDER PORQUE ESTÁ EFETUANDO DESCONTO POR CONTA DE UM ERRO NO PREENCHIMENTO DO MEU PERFIL.
TÓKIO MARINE NUNCA MAIS !!!
Att

JOSE AMARO

Resposta do Cliente:
03 de julho de 2018, às 21h07min
ação de cobrança (seguro de veículo),

Portanto, resta claro que a seguradora somente solicitou que o autor regularizasse a situação do veículo para que a transferência do bem fosse realizada e, por consequência, o valor da indenização fosse liquidado. Como o autor ainda não regularizou a situação do veículo segurado (autorizando o desconto dos impostos que foi isento), a companhia seguradora encontra-se impossibilitada de efetuar o pagamento do capital segurado prevista na apólice de seguro contratado. Pugnou, pois pela improcedência (fls. 49/59). Juntou documentos (fls. 60/71). Réplica a fls. 78/80. É o relatório. DECIDO. Conheço diretamente do pedido, pois basta a prova documental produzida nos autos para o deslinde da causa. Inafastável a procedência do pedido inicial. Pois bem. O objeto principal do seguro é a cobertura do risco contratado, ou seja, o evento futuro e incerto que poderá gerar o dever de indenizar por parte da companhia seguradora. Outro elemento essencial desta modalidade de contrato é a mais estrita boa-fé, caracterizada pela veracidade e sinceridade nas informações prestadas pelo segurado quando da contração do seguro. Desse modo, a ré só poderá se exonerar de sua obrigação ao pagamento de indenização se ficar comprovado o dolo ou a [alterado automaticamente pelo denuncio] do segurado, ou se houver agravamento intencional do risco, tendo em vista que é com base nas informações prestadas pelo segurado que a seguradora avalia a aceitação dos riscos e arbitra o valor da prestação a ser paga. No presente caso, não merece acolhimento a pretensão da seguradora ré ao condicionar o pagamento da indenização referente ao seguro contratado à quitação do IPI e IPVA pelo segurado, tendo em vista que aquela se beneficiaria do benefício legal concedido a este pela Lei 8.989/95 e Lei Estadual 13.296/08. Por outro lado, a transferência de veículos em razão do [alterado automaticamente pelo denuncio] (como se verifica no presente caso) para a seguradora a fim de que esta proceda ao pagamento de indenização, é mera consequência do contrato em questão. Não pode a ré vincular o pagamento do IPI e IPVA à indenização a ser paga ao segurado devido a ocorrência do sinistro, repita-se, em razão do

benefício legal a este concedido pela Lei 8.989/95 e Lei Estadual 13.296/08. Portanto, devida pela ré a indenização em sua totalidade, não podendo a ré repassar ao autor o ônus do pagamento de IPI e IPVA, para os quais o autor foi legalmente dispensado do seu recolhimento.
Resposta do Cliente:
04 de julho de 2018, às 00h33min
Dispõe sobre a exigência do pagamento do Imposto sobre Produtos Industrializados dispensado, relativo a veículo adquirido com isenção por taxistas e pessoas portadoras de deficiência.

O SECRETÁRIO DA RECEITA FEDERAL, no uso da atribuição que lhe confere o inciso III do art. 209 do Regimento Interno da Secretaria da Receita Federal, aprovado pela Portaria MF nº 259, de 24 de agosto de 2001, tendo em vista o disposto na Lei nº 8.989, de 24 de fevereiro de 1995, nas Instruções Normativas SRF nºs 31 e 32, de 23 de março de 2000, atuais Instruções Normativas nº 353, de 28 de agosto de 2003 e nº 375, de 23 de dezembro de 2003, e o que consta do Processo nº 10680.016264/2003-88, declara:

Art. 1º Comprovada a perda total, por sinistro, ou por [alterado automaticamente pelo denuncio] ou [alterado automaticamente pelo denuncio], de veículo adquirido com isenção do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI), com a conseqüente baixa junto ao Departamento de Trânsito competente, não há a exigência do pagamento do IPI, dispensado na aquisição, em decorrência do recebimento de seguro, com a assunção, pela empresa seguradora, dos direitos relativos ao veículo.
Resposta da Empresa:
05 de julho de 2018, às 17h14min
Olá Sr. José Amaro,

Estamos cientes dos seus comentários, contudo, não identificamos fatos que possibilitem alterar a posição inicial.

Dessa forma, para concluir este atendimento agradecemos avaliar o nosso atendimento, sua consideração será muito importante para nós.

Atenciosamente,

Atendimento ao Cliente ? Redes Sociais.
Resposta do Cliente:
05 de julho de 2018, às 22h17min
Senhores,
Segue Instrução Normativa da Receita Federal;

Art. 1º Comprovada a perda total, por sinistro, ou por [alterado automaticamente pelo denuncio] ou [alterado automaticamente pelo denuncio], de veículo adquirido com isenção do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI), com a conseqüente baixa junto ao Departamento de Trânsito competente, não há a exigência do pagamento do IPI, dispensado na aquisição, em decorrência do recebimento de seguro, com a assunção, pela empresa seguradora, dos direitos relativos ao veículo.
Att
José Amaro da Silva
TÓKIO MARINE NUNCA MAIS !!!


Resposta do Cliente:
05 de julho de 2018, às 22h17min
Senhores,
Segue Instrução Normativa da Receita Federal;

Art. 1º Comprovada a perda total, por sinistro, ou por [alterado automaticamente pelo denuncio] ou [alterado automaticamente pelo denuncio], de veículo adquirido com isenção do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI), com a conseqüente baixa junto ao Departamento de Trânsito competente, não há a exigência do pagamento do IPI, dispensado na aquisição, em decorrência do recebimento de seguro, com a assunção, pela empresa seguradora, dos direitos relativos ao veículo.
Att
José Amaro da Silva
TÓKIO MARINE NUNCA MAIS !!!


Resposta do Cliente:
05 de julho de 2018, às 22h17min
Senhores,
Segue Instrução Normativa da Receita Federal;

Art. 1º Comprovada a perda total, por sinistro, ou por [alterado automaticamente pelo denuncio] ou [alterado automaticamente pelo denuncio], de veículo adquirido com isenção do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI), com a conseqüente baixa junto ao Departamento de Trânsito competente, não há a exigência do pagamento do IPI, dispensado na aquisição, em decorrência do recebimento de seguro, com a assunção, pela empresa seguradora, dos direitos relativos ao veículo.
Att
José Amaro da Silva
TÓKIO MARINE NUNCA MAIS !!!


Você está encerrando esta denúncia.

Qual nota de satisfação você daria para esta empresa? Você foi bem atendido?

Dê a sua nota:

Você voltaria a contratar esta empresa?

  • Não
  • Sim
Encerrar esta denúncia

Receba novidades por e-mail:

FIQUE SEMPRE INFORMADO!