Categorias de empresas:
Pesquisar empresas:
Pesquise acima por categoria ou empresa e faça sua denúncia.

O Ano do Recall

20 de setembro de 2010, às 07h12min

O ano de 2010 já pode ser considerado o ano do recall. Isso porque em nenhum outro ano tivemos tantos chamamentos de consumidores em virtude de problemas de fabricação, especialmente de veículos.
O ano de 2010 já pode ser considerado o ano do recall. Isso porque em nenhum outro ano tivemos tantos chamamentos de consumidores em virtude de problemas de fabricação, especialmente de veículos.

O recall, que deveria ser a exceção, infelizmente está se tornando regra. De acordo com o CDC, os fornecedores devem colocar no mercado produtos e serviços seguros e também devem repassar aos consumidores informações adequadas, claras e completas a respeito dos riscos inerentes.

O chamamento deve ocorrer quando a fábrica descobre que o produto tem um perigo não programado inicialmente e, por isso mesmo, não informado no manual de instruções. Esse risco adicional decorre de problemas verificados no projeto ou mesmo na produção e só vem a ser descoberto pelo fabricante após a introdução dos produtos no mercado. O recall é a forma de alertar os consumidores para os riscos adicionais verificados nos produtos, a fim de que eles não sejam surpreendidos por acidentes.

Através dele a fábrica não só alerta os consumidores, como também promove a substituição das peças com problemas, para evitar acidentes. Tal medida beneficia número indeterminado de consumidores, porquanto os problemas não colocam em risco apenas os condutores mas toda a sociedade.

Certamente a competitividade do mercado está provocando esse abuso no número de chamamentos, uma vez que as fábricas acabam não tendo tempo adequado para testar os produtos antes de lançá-los. Já dizia a máxima popular que a pressa é inimiga da perfeição. Essa pressa está colocando em risco os consumidores e a sociedade.

O mercado não pode colocar em risco os consumidores. É dever dos fornecedores colocar produtos e serviços seguros em circulação. Está havendo uma pressa generalizada e a prova maior disso é a quantidade de chamamentos que aconteceram no ano de 2010.

Alguns deles, aliás, foram arrancados com muito custo das montadoras, que negavam o problema, mesmo diante de inúmeros acidentes semelhantes.

A vida e a segurança dos consumidores vêm sempre em primeiro lugar e são os valores mais preciosos tutelados pelo CDC. Quem coloca produtos com riscos inesperados no mercado causa instabilidade na sociedade e merece ser punido por isso. Diante dos abusos verificados, deve acontecer a punição administrativa desses fornecedores que realizam chamamentos de forma indiscriminada.

A falta de testes adequados antes do lançamento dos produtos traz problemas previsíveis. Enquanto não doer no bolso dos fornecedores, os abusos continuarão ocorrendo.

Receba novidades por e-mail:

FIQUE SEMPRE INFORMADO!